domingo, 11 de fevereiro de 2018

"Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro" (Henry Thoreau)

Entrevista com Gabriel Alfonso Zimath, 
de Santa Catarina


Blog: Publicou seu livro de forma física ou online? Quais as vantagens e desvantagens de se publicar pela forma que escolheu?
Gabriel: Tenho publicações no Wattpad (@GZimath) e também duas participações em antologias (Pela Illuminare e outra de produção independente, com contos). Além, assinei contrato para algumas publicações com a Editora Livros Prontos e estou muito feliz com isso. Acredito que a forma online deva ser considerada um mercado de entrada, pois possibilita o acesso massivo de uma grande parte da população, ao mesmo tempo. Isso potencializa o alcance da obra e a visibilidade do autor. Contudo, eu curto demais publicação física, e acho que – uma vez estabelecido um grupo de conhecimento – deva ser passado a esta fase.

Blog: Qual o seu conselho para as pessoas que querem lançar um livro?
Gabriel: Escreva numa folha três conselhos: não desista / não desista / retorne ao primeiro conselho. Claro que você precisa, pelo menos, entender como as coisas funcionam. Descobrir seus pontos fortes e fracos, as capacidades e limitações da escrita, o que lhe mantém mais concentrado na realização das tarefas. A tarefa não é árdua em si, mas é complexa. Qualquer pessoa pode escrever como quer e expor, mas isso tem um alcance limitado. Se você quer mesmo ser reconhecido pelo que fez, procure exceder seus limites. Isso só acontecerá quando você mesmo notar as diferenças entre as coisas que primeiramente escreveu e as que faz agora. Nós evoluímos escrevendo, se isso não ocorreu, algo está errado.



Blog: Como vê a literatura no Brasil?
Gabriel: Estamos numa fase de transição. Tínhamos poucos autores nacionais até alguns anos atrás (ou se tinham, desculpa, mas não ocupavam destaque). Isso vem mudando hoje em dia, há uma campanha de valorização do nacional em contrapartida à evolução dos próprios autores. Estão sendo criadas obras de grande qualidade, com preocupação linguística e artística. Não é ainda uma preferência nacional, mas alguns gêneros vêm se destacando nesta literatura, como a ficção e os romances quentes.

Blog: O que é preciso para que a literatura nacional seja mais valorizada?
Gabriel: Se considerarmos hoje os “Digital Influencers”, começar dali seria um bom ponto. Estas pessoas tem um alcance absurdo de voz e aceitação, a manifestação deles por alguma obra desencadearia um novo momento. Claro que isso não é que eles fazem, e se fizessem apenas isso, acredito que deixariam de ser grandes nomes na rede. Mas tudo tem um começo. Existem mais websites literários que antigamente, divulgando em suas próprias proporções, criando expectativas e excitação às obras. Como se vende um produto? Tornando-o necessário e sendo extremamente corretos na divulgação.

Blog: Como faz para divulgar o livro? Qual a melhor forma?
Gabriel: Sendo franco, eu peco bastante nisso. Até o momento nunca fiz publicidade contínua ou massiva das minhas obras. Alguns momentos fazia menção em grupos do Whatts ou pela participação em desafios e concursos no Wattpad (me destacando). Se eu fosse palpitar, acredito que o facebook e o instagram tem um bom impacto e poderia ser utilizado de forma a alavancar bastante o começo da obra.



Blog: Quando começou a escrever, já fazia planos de seguir carreira?
Gabriel: De maneira alguma! Eu comecei como a maioria dos adolescentes, utilizando palavras para extrair de mim sentimentos e sensações, desabafando em letras. Com o passar do tempo passei a gostar de fazer isso com um significado específico (montar histórias e personagens), então isso foi acontecendo. De acreditar mesmo nesta possibilidade, foi em Abril do ano passado, ou algo do tipo.

Blog:Quando olha para trás sua maior satisfação é poder dizer...
Gabriel: Que eu não desisti. Mesmo com vários anos vazios de escrita entre o começo e o agora, eu retornei a isso, e gostei. Mesmo que não signifique ser famoso ou viver disso, estas histórias em minha cabeça precisam ser concluídas.

Blog: Qual a função social da literatura?
Gabriel: São várias. A passagem do conhecimento por meio da escrita faz parte da história do mundo, marcam registros de momentos. Da mesma forma, é capaz de nos influenciar e incitar a busca por conhecimento. Somos capazes de evoluir ao sermos expostos a ela, agregando conhecimentos do passado e futuro. Mesmo quando fictícia, tem função de incitar a imaginação e criatividade, de permitir a quem lê desenvolver aptidões e capacidades ao longo da experiência.



Blog: A internet influencia na carreira do escritor?
Gabriel: Completamente. O acesso ao escritor a diferentes públicos e da mesma forma a capacidade do público em ter acesso a coisas de seu interesse vão de encontro diretamente à necessidade do escritor. Contudo, existe todo um cuidado do autor em se manifestar nestes meios, pois passa a buscar ser figura pública, com os ônus e bônus relacionados.

Blog: Uma frase que te define?
Gabriel: O que você vive hoje, é o que deseja para sempre?

Blog: Se pudesse voltar no tempo, mudaria alguma coisa?
Gabriel: Sempre temos arrependimentos, mas qualquer mudança poderia não me trazer onde estou agora. Quero estar onde estou agora, e quero ainda mais sair de onde estou para algo melhor.

Blog: Deixe um recado para seus leitores e seguidores do blog:
Gabriel: Oi, gente! Prazer falar com vocês! Como perceberam, não sou muito de divulgar minhas coisas, eu tinha um pouco de vergonha e falta de traquejo. Agora com as coisas mudando (nem eu sabia que podia ser publicado) estou tentando mudar isso. Se puderem me dar alguns minutos do seu tempo, tenho um perfil no Wattpad cheio de obras que adorariam estar na sua estante! Obrigadoooo!


Conheça, siga e leia Gabriel Alfonso Zimath
Perfil ono wattpad, clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário